Pensando fora do círculo – parte I

Somos educados a pensar dentro de limites. Às vezes vivendo com amarras que nos levam ao consumo de drogas pela satisfação ilusória de quebrar essas correntes, ainda que momentaneamente. Mas a verdadeira mudança, a liberdade, a quebra de cadeias somente pelo Poder que há na Palavra de Deus, pelo Nome de Jesus.

A construção do caráter

Todos nós, ao longo da vida, somos moldados pelas experiências porque passamos na escola, em casa, com outros parentes, com os amigos e por aí vai. Através destas experiências vamos construindo os muros da nossa razão, do nosso comportamento, de nossas atitudes ou falta delas.

Quando me refiro a muros quero dizer os limites que vão cercear até onde você vai com seus pensamentos e decisões.

Auto-estima

Muito desse limite sofre influência do que se toma como verdade ao longo da vida. Alguém lhe diz, por exemplo, uma coisa do tipo: “Você não pode, não conseguirá! Você… não tem capacidade!”. Às vezes, na infância, é algo assim: “Menino burro!”. Também é possível que seja: “Que menina feia!”. Estas e outras frases são pronunciadas, muitos de nós acreditamos e, o pior, as deixamos guardadas.

A partir disso, constroem-se resistências em nós mesmos que impedem de auto-aceitarmos e de desenvolver amor próprio o que, por conseguinte, impedirá de amarmos nosso próximo (“… Amarás ao teu próximo como a ti mesmo”. Marcos 12.31).

Possivelmente o produto disso tudo é a formação de um indivíduo com personalidade egoísta, que só pensa em si mesmo, que precisa estar o tempo todo provando que tem valor, muito mais a si próprio do que para outros, porque não se aceita do jeito que é exatamente por ter uma visão distorcida e irreal de suas habilidades e capacidade.

Dificuldade em se relacionar

Daí, sem dúvida alguma, vem os problemas de relacionamento. E por quê? Porque os parâmetros que alguém nessas condições usa para julgar se uma pessoa é adequada para um relacionamento são tão severos quanto a sua autocobrança. E só se consegue construir bons laços de amizade, um namoro ou casamento saudáveis, a partir do momento que se “aceita a pessoa que se vê quando olhar no espelho”.

Bem, o que quer que tenham dito para você no decurso de sua vida, foi dito por pessoas iguais a todas as outras, passíveis de sentimentos como a inveja e o medo; sujeitas a fazer julgamentos precipitados e errados e que, desse modo, não se deve permitir que tais palavras o dominem e passem a ser verdade em sua vida!

De qualquer forma, outros fatores contribuíram para forjar os muros de sua razão, daquilo que você considera como aceitável, possível e lógico. Todos nós tendemos a pensar dentro desse limite que circunscreve nossas ideias. O próprio organismo participa ativamente desse processo por meio de neurotransmissores, mais precisamente um conhecido como orexina, que cuida para que seu pensamento seja racional e lógico, ideias permitidas por você, que lhe pareçam naturais ou normais.

Continua Parte II…

Anúncios

Seu comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s