O Mais Poderoso Órgão Sexual: Parte Três

Uma breve análise sobre como a sociedade tem sido afetada por conceitos liberais relativos à sexualidade. Terceira Parte (final).

Veja a Parte 1 e Parte 2.

Seguindo no nosso tema, vejamos a importante questão da influência cultural norte-americana no mundo.

Se você quer saber o quanto essa questão de exportação de cultura, quando se trata de EUA, é importante, sobretudo no que se refere à vida sexual, veja o que disse a PhD em Neurociência pela University of California, Los Angeles (EUA), Silvia Helena Cardoso:

Apesar do fato do comportamento sexual humano ser controlado e dirigido por uma das partes mais primitivas do cérebro, ao mesmo tempo ele é fortemente influenciado e modulado pela experiência adquirida, assim como pelo meio social, étnico e cultural, fazendo dele uma mistura única das esferas fisiológica e psicológica. Ainda mais, o que é considerado ‘normal’ e ‘anormal’ no comportamento sexual humano é altamente variável entre culturas e ao longo do tempo“.

Portanto, se estamos mergulhados num meio em que se admitem muitas coisas como normais e aceitáveis, como se disse antes, precisamos de um parâmetro aceitável a Deus. E como encontrá-lo? Exatamente como dizem os versículos do primeiro parágrafo: “… e na sua lei medita de dia e noite”.

Precisamos de uma programação mental que barre o progresso de pecados que levamos no dia a dia. E a única forma é aquela: meditar nas Escrituras Sagradas. As afirmações do Salmo 1 e de Filipenses 4.8 (ver primeiro parágrafo da Parte Um desta série) são realmente um alerta para todos, haja vista o cérebro, onde se constrói a mente, ser o órgão sexual mais importante para nós.

Mas por que será que Deus rejeita como pecado o sexo fora do casamento? Já pensou sobre isso? Por que pecado é pecado? Por que ofendem sua Santidade? Creio que as respostas estejam diretamente relacionadas ao seguinte versículo:

Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna (João 3.16)”.

Observem o início do versículo, “Deus amou o mundo de tal maneira“. Por mundo entendemos serem as pessoas. Ele nos amou ao ponto de entregar Jesus para uma morte cruel e extremamente abominável! A partir disso, não resta qualquer dúvida de que Ele realmente ama a todos nós.

Esse amor é de uma pureza e tamanho imensuráveis que, por causa dele, Ele não aceita que nem mesmo nós, “donos” de nossos corpos, pratiquemos certas coisas – se tais coisas forem potencialmente nocivas.

Ao pensar, agir, falar de determinada forma, poderemos estar causando um mal a nós mesmos e, Deus, por causa de seu amor por nós, sente-se entristecido.

Pecado é uma afronta à Santidade de Deus por ser danoso a nós mesmos e ao nosso próximo, seja encorpado numa mente orgulhosa e soberba que se acha autossuficiente, considerando Deus uma “coisa” da qual se pode viver sem; seja creditando a si mesmo o status de um deus – que foi o caso de Lúcifer, antes anjo depois demônio; seja espalhando calúnias contra outras pessoas; seja desejando a morte de alguém que te prejudicou ou, simplesmente, sendo injusto e desonesto com as pessoas.

No caso de sexo fora do casamento há uma série de implicações que causam danos à mente, ao corpo, à família e ao meio social em que se está inserido. Mas isto é um bom assunto para outro post.

Até lá!

Veja a Parte 1 e Parte 2 desta série.

Anúncios

There are 2 comments

Seu comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s