O Amor Subversivo

Dando uma definição encontrada em dicionários, de forma geral, subversivo é aquilo que transforma ou destrói algo estabelecido.

O amor subversivo a que me refiro é aquele capaz de desfazer uma situação conflituosa tornando-a num primeiro passo para transformar inimigos em amigos, inverter a sede de vingança em perdão, ou simplesmente mudar primeiras impressões negativas.

Esse é o amor que aprendemos com Jesus. Na Bíblia há vários exemplos deles. Por isso você ouve muito por aí que se deve ler a Bíblia com frequência, ou que ela é alimento indispensável para a vida.

Se uma pessoa se alimenta da Palavra de Deus todos os dias procurando entende-la e aplica-la no seu cotidiano, certamente essa pessoa terá o amor subversivo como alvo. Sim, como alvo, pois não é nada fácil viver esse amor na prática. É uma luta constante contra a própria natureza do pecado enraizada, e também contra sentimentos bem humanos como inveja e ódio.

A fonte desse amor é o próprio Cristo, que não só ensinou sobre, mas também viveu na prática. Está em Lucas 6:27-36. Leia tudo, mesmo se você já tiver lido muitas vezes, porque sempre é bom manter esses princípios grudados na mente:

“Mas eu digo a vocês que estão me ouvindo: Amem os seus inimigos, façam o bem aos que os odeiam, abençoem os que os amaldiçoam, orem por aqueles que os maltratam.

Se alguém lhe bater numa face, ofereça-lhe também a outra. Se alguém lhe tirar a capa, não o impeça de tirar-lhe a túnica.

Dê a todo o que lhe pedir, e se alguém tirar o que pertence a você, não lhe exija que o devolva.

Como vocês querem que os outros lhes façam, façam também vocês a eles.

“Que mérito vocês terão, se amarem aos que os amam? Até os ‘pecadores’ amam aos que os amam.

E que mérito terão, se fizerem o bem àqueles que são bons para com vocês? Até os ‘pecadores’ agem assim.

E que mérito terão, se emprestarem a pessoas de quem esperam devolução? Até os ‘pecadores’ emprestam a ‘pecadores’, esperando receber devolução integral.

Amem, porém, os seus inimigos, façam-lhes o bem e emprestem a eles, sem esperar receber nada de volta. Então, a recompensa que terão será grande e vocês serão filhos do Altíssimo, porque ele é bondoso para com os ingratos e maus.

Sejam misericordiosos, assim como o Pai de vocês é misericordioso”.

Lucas 6:27-36

Olhando para esse texto, podem surgir várias perguntas, tais como: mas é isso mesmo? Amar meus inimigos? Fazer o bem a quem tem ódio de mim? É para perdoar tudo e todos por qualquer coisa?

A resposta para as perguntas é: sim. Esse é o alto padrão do Reino de Deus. Não é à toa que Jesus diz:

“Pois eu lhes digo que se a justiça de vocês não for muito superior à dos fariseus e mestres da lei, de modo nenhum entrarão no Reino dos céus” (Mateus 5:20).

E aí, está disposto a carregar essa cruz? Isso não é bem uma opção, mas é o resultado de uma vida que busca a Deus verdadeiramente.

Todas as citações da Bíblia neste texto são da Nova Versão Internacional (NVI).
Anúncios

There are 4 comments

  1. Amando no meio de zumbis | Infosol

    […] Aí você chega aqui achando que, talvez, eu esteja falando de alguma cena de sexo em The Walking Dead (TWD) que você não viu, ou um beijo na boca enquanto passa uma manada de zumbis. Isso não é sobre sexo, também não é sobre gostar de alguém, também não é sobre beijo na boca. O papo é sobre amor, mas aquele amor que vez ou outra a gente comenta por aqui. […]

    Curtir

Seu comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s