Você e Deus: um relacionamento possível

Como saber se temos um relacionamento com alguém? Que requisitos determinam a sua existência? Em um mundo com conceitos cada vez mais elásticos é até difícil determinar tal coisa. São tantos tipos de relacionamentos que existem. Amizade, namoro, casamento, união estável, sociedade, etc. E isso pode acontecer tanto na vida real quanto na virtual, se bem que esta está cada vez mais real.

No dicionário, relação é a ligação afetiva ou sexual entre duas pessoas. O que nos permite dizer que todo relacionamento pressupõe algum tipo de intimidade. É certo também que todo relacionamento pressupõe algum nível de compromisso, mesmo que raso, mesmo que em níveis diferentes para as pessoas envolvidas.

Quando falamos de Deus, surge também esse questionamento. Como saber se tenho um relacionamento com Ele? Por não ser uma pessoa fisicamente presente no nosso mundo, surge a ideia de que nosso relacionamento com Ele é de natureza diferente daquele que temos com as pessoas humanas, digamos assim.

De acordo com a Bíblia, não há dúvidas da vontade de Deus em se relacionar conosco. Pois, se relacionamento pressupõe compromisso, Deus já nos deu diversas provas do seu compromisso para com o homem. Foi Ele que criou o homem para se relacionar com Ele, e mesmo depois de o termos traído, Ele continuou insistindo nessa relação. Se não deu certo com o primeiro casal, Deus criou um povo, resgatou-o da escravidão, sustentou-o no deserto e providenciou uma terra para eles. E para eles fez a seguinte declaração: “Eu o amei com amor eterno; com amor leal o atrai.” (Jr 31.3). Mais uma vez escolheram romper a relação com Deus, mesmo diante dos vários problemas que isso lhes causou, pois seu sustentador e protetor estava ausente. A contradição disso tudo, é que nós tomamos a iniciativa de romper nosso relacionamento com Deus, mas não é Ele que precisa de nós e sim o contrário.

Deus, na verdade, levou às últimas consequências seu compromisso conosco, ao invés de terminar o relacionamento logo com as primeiras desavenças, como é de costume hoje em dia. Ele escolheu comprometer-se conosco pelo amor, e o amor incondicional, e o amor sacrificial. Sacrificou-se ao ponto de morrer somente para restaurar nosso relacionamento com Ele. Foi porque amou-nos tanto que escolheu vir ao mundo morrer, para que todos que quiserem ter esse relacionamento com Ele vivam pra sempre. Qualquer relacionamento nos traz benefícios e a grande vantagem de ter um relacionamento com Deus é que Ele, por ser criador e sustentador da vida, estar com Ele é garantia de vida, e vida abundante. Ou seja, Ele é eterno e dá vida eterna aos seus amigos. Jesus disse isso em outras palavras: “Esta é a vida eterna: que te conheçam, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste.” (João 17:3).

Mas como já falamos, não há dúvidas da vontade de Deus em se relacionar com o homem, Ele busca isso até hoje. O grande problema sempre foi se nós queremos nos relacionar com Ele. Se queremos assumir o compromisso desse relacionamento, pois compromisso é inerente aos relacionamentos. Em última instância, esse é o problema dos relacionamentos que se acabam, falta de compromisso. E desde o início falta compromisso da nossa parte no relacionamento com Deus.

Em Mateus 7.21-23, temos um exemplo da nossa falta de compromisso e de como isso reflete no nosso relacionamento com Deus:

Nem todo aquele que me diz: Senhor, Senhor, entrará no Reino dos céus, mas apenas aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos em teu nome? Em teu nome não expulsamos demônios e não realizamos muitos milagres?Então eu lhes direi claramente: Nunca os conheci. Afastem-se de mim vocês que praticam o mal!”(Mateus 7:21-23)

Jesus nos diz duas coisas, a primeira é que nem todo mundo que diz que é amigo de Deus é de verdade. Não é porque chamamos o nome dele seja na igreja, seja diante de nossos amigos, que isso significa que temos um relacionamento com Ele. Assim como muita gente que se diz nosso amigo, mas as situações da vida demonstram que era só da boca pra fora.

A segunda coisa que Jesus diz é que muita gente diz que faz a vontade de Deus, mas na verdade faz a sua própria vontade e por isso nunca teve um relacionamento com Deus. Isso porque não existe relacionamento se uma parte faz somente o que quer e não ouve a outra, não se importa com a outra. Esses enganam a si mesmos, podem enganar os outros, mas nunca enganam a Deus.

Isso quer dizer que um relacionamento significa compromisso e intimidade, como já foi falado, mas também exige reciprocidade. Mesmo que seja impossível para nós igualarmos o que Deus fez por nós, podemos, ao menos oferecer o que está ao nosso alcance: fazer a sua vontade, amá-lo e falar desse amor. É a reciprocidade que podemos oferecer diante das nossas limitações.

Eu não acredito que esses homens citados no texto bíblico acima foram pegos totalmente desprevenidos. Assim como cada um de nós sabe exatamente que tipo de relacionamento cultiva com Deus. Por isso que compromisso, intimidade e reciprocidade são apenas parâmetros para “medirmos” como anda nossa amizade com Deus, pois na verdade é o Espirito que testifica ao nosso espírito que somos filhos de Deus”  (Rm 8.16).

(Imagem de abertura: Ronaldo Lima.)

Anúncios

There is one comment

Seu comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s