C.S. Lewis, o Teólogo Leigo

Contemporaneamente a Tolkien, temos outro mestre da literatura fantástica, porém mais focado no público infantil e cristão, chamado C.S. Lewis. Sua abrangência literária também alcança a academia.

Lewis era de família Anglicana, porém havia se tornado ateu. Conheceu Tolkien no meio acadêmico — já que ambos eram estudiosos do mesmo campo e trabalhavam na mesma universidade. Com Tolkien, C.S. Lewis criou o grupo chamado The Inklings, um grupo informal para discutir literatura.

Foi após conhecer Tolkien que Lewis voltou à fé cristã, após pregações de Tolkien. Isto foi fundamental, pois Lewis se tornaria então um dos maiores apologetas cristãos da história. Também viria a ser considerado por algumas pessoas como o maior teólogo leigo de todos os tempos.

E não foi apenas Tolkien que teve papel decisivo na carreira de Lewis. O contrário também aconteceu. Enquanto escrevia O Senhor dos Anéis e apresentava a obra aos amigos, os membros do grupo Inklings não se agradaram, acharam-na enfadonha e pediram que ele não mais apresentasse aquela obra nas reuniões. Mas Lewis decidiu por apoiar seu amigo.

Portanto, Tolkien não seria o que é se não fosse Lewis. E Lewis não seria o que é se não fosse Tolkien.

Lewis também teve um papel importante durante a Segunda Guerra Mundial, na Inglaterra. Ele era preletor nas rádios, e utilizava esse tempo para animar aqueles que estavam em batalha, como também seus familiares, com mensagens de conforto, arrependimento e esperança em Deus. Partiu dele um número razoável de grandes obras literárias cristãs. Obras essas que vale a pena todas as pessoas lerem — cristãos ou não — e independente da época.

A seguir, alguns de seus principais livros:

  • A Abolição do Homem;
  • Alegoria do Amor;
  • As Crônicas de Nárnia;
  • Cartas de um Diabo ao seu Aprendiz;
  • Cristianismo Puro e Simples;
  • Milagres;
  • Oração – Cartas a Malcolm;
  • Os Quatro Amores;
  • Peso da Glória;
  • Problema do Sofrimento;
  • Trilogia Espacial;
  • Um Experimento na Crítica Literária.

Outros posts desta Série:


 

Anúncios

About Evandro J.R. Silva

É Doutorando em Ciência da Computação. Convertido desde os 6 anos de idade, a partir dos 15 anos começou a ler e estudar a Bíblia autodidaticamente. É membro de uma Igreja Batista. Gosta bastante de jogos eletrônicos e de ler, principalmente sobre apologética e literatura fantástica. Tem como gosto musical preferido o metal sinfônico.

There are 3 comments

    1. Evandro Rocha e Silva

      Apesar de que se fala muito sobre Tolkien, o texto é sobre Lewis. Entretanto é praticamente impossível falar do legado de um sem falar sobre o outro. Isto é expresso na frase “Portanto, Tolkien não seria o que é se não fosse Lewis. E Lewis não seria o que é se não fosse Tolkien”.

      De qualquer forma, seu questionamento foi producente. Vou acrescentar no texto um link de um post já existente no blog que é mais centrado em Lewis.

      Curtir

Seu comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s