A Torre Negra: O Pistoleiro

O texto abaixo contém alguns spoilers

Enredo

A história do livro narra a perseguição de Roland, o último pistoleiro de seu mundo, ao Homem de Preto por um deserto enorme.

Enquanto andava pelo deserto, Roland encontra uma cabana e narra ao anfitrião o que acontecera dias antes, quando chegou a uma cidade chamada Tull, que se parece com as cidades de faroeste de filmes americanos.

Enquanto esteve na cidade, Roland procurou descobrir o máximo sobre o que as pessoas de lá sabiam sobre o tal Homem de Preto. Passado um pouco de tempo, o pistoleiro acaba sendo vítima de uma armadilha daquele a quem persegue. E, por causa da armadilha, ele acaba por matar todos os habitantes daquela cidade. Então continua sua jornada pelo deserto, até encontrar a cabana onde estava narrando a sua história.

Após se despedir do anfitrião, Roland parte novamente para o deserto até encontrar um galpão, no meio do nada. Lá conhece Jake, um garoto que havia sido assassinado no nosso mundo, em Nova York, e que, após o assassinato, tinha ido parar naquele galpão. Jake também o informa que o Homem de Preto havia passado por ali.

O pistoleiro continua sua perseguição — dessa vez levando o garoto consigo. Eles finalmente chegam ao limite do deserto e ficam bem próximos do Homem de Preto, que estava subindo uma montanha; mas posteriormente desaparece, entrando em um túnel. Antes de desaparecer, porém, o Homem de Preto revela a Roland que ele só poderá alcançá-lo se sacrificar o garoto.

Ignorando o que disse o Homem de Preto, Roland decide por continuar a persegui-lo. Jake acompanhava-o. No túnel encontram um vagão, de uma mina, e tentam acelerar a viagem. Contudo, no fim do túnel, eles têm de atravessar uma ponte em estado deplorável. Durante o caminho a ponte cede, e Roland agora se encontra pendurado, segurando Jake. E no fim da ponte — mais perto do que nunca — estava o Homem de Preto.

O que acontece com os três, deixarei para vocês descobrirem por conta própria. Já dei vários spoilers, resumindo a história quase toda.


Opinião

O Pistoleiro é o primeiro volume de uma série de sete livros (recentemente a série ganhou mais um membro) chamada A Torre Negra, escrita por Stephen King. Esta série é a sua obra prima; no mínimo a mais ambiciosa, como o próprio autor diz.

Este primeiro volume da série não é grande, contendo pouco mais de 200 páginas. São, se não me engano, somente 5 capítulos nomeados, subdivididos em outros numerados.

NOVA X

A leitura é boa, envolvente e não é cansativa. Isto possibilita que qualquer pessoa consiga ler cada um dos capítulos nomeados de uma vez, mesmo que muito grandes.

Como o próprio autor revela no início, no prefácio, há um grande exagero de advérbios e metáforas, que no começo ajudam bastante a definir cada nuance que Stephen King queria descrever sem ter de apelar a uma descrição exaustiva; contudo, com o tempo esse exagero se torna meio chato.

Quanto à história, não é algo trivial. É necessária uma leitura relativamente atenciosa, pois às vezes se um pequeno detalhe escapa a subdivisão seguinte do capítulo já fica sem sentido. Então se você ainda não leu, quando for lê-lo, preste bem atenção em tudo. Este não é um livro para se ler com sono.

Como primeiro livro, acredito que o mesmo só fez este sucesso todo por causa do prestígio do autor, ou seja, se fosse outro autor qualquer, desconhecido, acho que dificilmente este livro seria bem vendido. Talvez até viesse a ser, mas com certeza só por causa dos próximos livros da série que viriam. A história cai como que de paraquedas, sem nenhuma explicação, e evolui nebulosamente, de modo que não duvido que ao terminarem o livro muitos se perguntem (desculpem pela expressão): que porra é essa?

Mas em vez disso ser um ponto contra, a meu ver, soa como meio ponto a favor, pois mesmo sendo nebulosa, a história do livro suscita uma curiosidade que nos compele a querer continuar lendo [o segundo livro] para ver se o quebra-cabeça fecha e tudo faça um real sentido. Ou seja, o livro faz com que queiramos continuar a leitura para buscarmos respostas aos inúmeros “quê?!” e “por quê?” que aparecem durante a leitura. O meio ponto se deve pelo fato do livro não instigar a leitura do tipo não consigo viver se não solucionar esse mistério, de forma que é perfeitamente possível terminar o livro sem ficar ávido pelo segundo volume.

Por fim, minha nota a este livro, numa escala de 0 a 10, é 6. Quanto a vocês que já leram, concordam comigo?

Nota = 6

Anúncios

About Evandro J.R. Silva

É Doutorando em Ciência da Computação. Convertido desde os 6 anos de idade, a partir dos 15 anos começou a ler e estudar a Bíblia autodidaticamente. É membro de uma Igreja Batista. Gosta bastante de jogos eletrônicos e de ler, principalmente sobre apologética e literatura fantástica. Tem como gosto musical preferido o metal sinfônico.

Seu comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s