Stephani Meyer: entre vampiros e lobisomens

Continuando a série sobre os autores de ficção que deixaram ou deixarão seu legado, Meyer vem a ser a sexta autora. Este post aborda apenas a contribuição da autora.

Stephanie Meyer ainda está longe de ser uma autora consagrada — apesar de bem famosa. O que fez ela acertar foi descobrir que além dos adolescentes que cresceram com Harry Potter, ainda havia um nicho mais concentrado, formado quase exclusivamente de meninas com baixa autoestima. Isso fez com que rapidamente ela ganhasse uma legião de fãs adolescentes.

Hollywood, por sua vez, viu o potencial gerador de dinheiro da história. Então expandiram um pouco o nicho, transformando a história numa megaprodução.

Mas obviamente que o sucesso dela não se deveu somente em acertar um nicho potente e ao mesmo tempo esquecido. Outro fator para seu sucesso foi resgatar os vampiros, colocando-os no centro da história, não somente como o personagem sanguinário que persegue alguém ou o grupo. Misturando os vampiros com lobisomens, Stephanie Meyer acertou em cheio sobre a fantasia a ser abordada.

Muitos criticaram ao dizer que ela estragou a história dos vampiros. Concordo com isso. Ela fez dos vampiros, monstros terríveis e temidos, em fadas de purpurina que bebem sangue. Pelo menos ela não tocou muito nos lobisomens.

De qualquer forma, independente de como ela tenha tocado no assunto, a mitologia de lobos e vampiros explodiu e de uma hora para outra tivemos uma enxurrada de novos contos, seriados e filmes que abordam tais seres de alguma forma. Então, mesmo sem querer — com uma probabilidade incrivelmente baixa — Stephanie Meyer influenciou a mídia de entretenimento juvenil e adulta, fazendo com que uma mitologia específica virasse, momentaneamente, o celeiro de novas produções.

[In?]Felizmente ela não parou por aí. Resolveu escrever A Hospedeira, e com isso ela mostrou ser costume dela transformar horror em purpurina. Talvez muitos de vocês não tenham assistido, ou nem lembrem, mas em 2007 saiu um filme chamado Invasores. Da mesma forma em que ela transformou vampiros — monstros terríveis — em carinhas legais, ela transformou alienígenas invasores/colonizadores, que mudam o comportamento de suas vítimas, em seres completamente compreensíveis e amáveis com A Hospedeira. Mas desta vez o sucesso não foi lá tão grande.

Por fim, como de praxe, vou listar os livros escritos por ela:

  • Saga Crepúsculo;
  • A Hospedeira;
  • Inferno na Terra — conto para o livro Formaturas Infernais;
  • A Breve Segunda Vida de Bree Tanner;
  • Midnight Sun — uma revisita à Saga Crepúsculo.
Anúncios

About Evandro J.R. Silva

É Doutorando em Ciência da Computação. Convertido desde os 6 anos de idade, a partir dos 15 anos começou a ler e estudar a Bíblia autodidaticamente. É membro de uma Igreja Batista. Gosta bastante de jogos eletrônicos e de ler, principalmente sobre apologética e literatura fantástica. Tem como gosto musical preferido o metal sinfônico.

Seu comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s