Suzanne Collins, a Rainha das Arenas

Olá leitores. Primeiramente peço desculpas por ter demorado tanto em finalizar a série. Aperreios da vida acabam por fazer com que tenhamos de dar prioridades a algumas atividades em detrimento de outras.

Mas enfim. Estando eu aqui novamente, vamos falar do último dos sete autores — no caso a última.

Suzanne Collins, apesar da relativa fama, está neste rol de sete autores pelo fato de que sua trilogia Jogos Vorazes acabou por criar uma tendência — tímida, mas existe. Mas antes de falar de sua maior contribuição à literatura fantástica, vamos conhecer um pouco mais sobre sua pessoa.

Numa pesquisa rápida não se encontra muita coisa. Basicamente sua carreira começou em 1991 escrevendo para programas infantis para o canal Nickelodeon. Alguns deles são Clarissa Sabe Tudo, Os Arquivos de Shelby Woo e O Pequeno Urso.

Mais tarde, na primeira metade da década de 2000, inspirada por Alice no País das Maravilhas ela escreve o primeiro livro que compõe As Crônicas do Subterrâneo — essa série possui cinco volumes.

Após experimentar o primeiro best-seller ela escreveu, já na segunda metade da década de 2000, a aclamada Trilogia Jogos Vorazes. Nessa trilogia ela descreve um cenário futurístico, quase pós-apocalíptico, que resultou na criação de uma sociedade dividida em treze distritos e a Capital. Houve uma guerra, e a Capital saiu vencedora, passando a dominar ferrenhamente os demais distritos — sendo que o décimo terceiro foi completamente dizimado.

Como uma espécie de castigo e afirmação de controle, todos os distritos têm de entregar dois de seus jovens para combaterem, até a morte, em uma arena. Os combates são terríveis e literalmente espera-se que dos 24 jovens apenas um saia vivo. Dentro da arena eles são expostos aos mais diversos desafios e têm de se virar para sobreviver. Pouca ajuda lhes é dada.

Confesso que a ideia é um tanto original, porém a escrita — do primeiro livro, pois da trilogia só li esse, até então — é bastante simples. O estilo de escrita cai como uma luva para uma legião de adolescentes e jovens que acabaram de ficar viúvos, tanto de Harry Potter quanto da saga Crepúsculo — apesar de que este último ainda teve uma sobrevida nos filmes adaptados.

A ideia deu tão certo que a autora, pelo menos fora dos Estados Unidos, é conhecida quase que exclusivamente como autora somente dessa trilogia, e, além disso, está faturando muito. De qualquer forma, boas ideias normalmente rendem cópias, ou obras parecidas. Surgiu então — timidamente ainda — a tendência de histórias que colocam jovens para sobreviverem sozinhos em arenas, ou então histórias de sociedades divididas em distritos, mas com o foco em jovens subversivos — de preferência uma garota. Dois casos principais: Divergente e The Maze Runner.

Pois bem, como de praxe — e também finalizando a série —, a seguir deixo uma lista com algumas das obras de Suzanne Collins:

  • As Crônicas do Subterrâneo
    • Gregor, o Guerreiro da Superfície;
    • Gregor e a Segunda Profecia;
    • Gregor e a Profecia de Sangue;
    • Gregor e as Marcas Secretas;
    • Gregor e o Código da Garra.
  • Trilogia Jogos Vorazes
    • Jogos Vorazes;
    • Em Chamas;
    • A Esperança.
Anúncios

About Evandro J.R. Silva

É Doutorando em Ciência da Computação. Convertido desde os 6 anos de idade, a partir dos 15 anos começou a ler e estudar a Bíblia autodidaticamente. É membro de uma Igreja Batista. Gosta bastante de jogos eletrônicos e de ler, principalmente sobre apologética e literatura fantástica. Tem como gosto musical preferido o metal sinfônico.

Seu comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s