A Conspiração

Nesta época de incertezas e alvoroço político que passamos no Brasil surgem suspeitas de conspirações por todos os lados. Mas deixando esse contexto brasileiro um pouco pra lá, olhemos para outra época onde, de fato, ocorreu traição, conspiração e injustiças.

Estamos no capítulo 26 de Mateus onde começam os eventos da “Quinta-feira da Paixão”.

Tendo dito essas coisas, disse Jesus aos seus discípulos:

“Como vocês sabem, estamos a dois dias da Páscoa, e o Filho do homem será entregue para ser crucificado”.

Mateus 26:1,2.

Nesta ocasião acontecia a Páscoa. Diferente do que estamos acostumados, essa Páscoa era uma festa que lembrava a libertação de Israel da escravidão no Egito.

Havia interesse das autoridades religiosas em matar Jesus (verso 3 a 5). Mas foi por meio do seleto grupo dos 12 discípulos que essa ideia ganhou força, quando Judas decidiu traí-lo.

Não deve ser fácil comer à mesa com inimigos. Apesar de todos os sofrimentos por que passaria Jesus ele ainda teve de comer com aquele que o entregaria.

E, enquanto estavam comendo, ele disse: “Digo-lhes que certamente um de vocês me trairá”.

Eles ficaram muito tristes e começaram a dizer-lhe, um após outro: “Com certeza não sou eu, Senhor! “

Afirmou Jesus: “Aquele que comeu comigo do mesmo prato há de me trair.

O Filho do homem vai, como está escrito a seu respeito. Mas ai daquele que trai o Filho do homem! Melhor lhe seria não haver nascido”.

Então, Judas, que haveria de traí-lo, disse: “Com certeza não sou eu, Mestre! ” Jesus afirmou: “Sim, é você”.

Mateus 26:21-25.

Isto normalmente traria no mínimo uma má digestão pra iniciar as próximas dolorosas horas. Nesta ocasião instituiu a Santa Ceia (ou Ceia do Senhor) como símbolo de sua morte e ressurreição para remissão de nossos pecados (versos 26 a 28).

No Getsêmani Jesus começa a sentir toda a profunda dor e tristeza pelo que irá, em breve, enfrentar. Tanto é que fez a mesma oração por três vezes! (versos 36 a 44). Sobre isso, veja mais clicando aqui.

Indo um pouco mais adiante, prostrou-se com o rosto em terra e orou: “Meu Pai, se for possível, afasta de mim este cálice; contudo, não seja como eu quero, mas sim como tu queres”.

Mateus 26:39.

Apesar das traições, crueldades, conspirações, a morte na cruz de Jesus só foi possível porque Ele mesmo permitiu. Por Sua vontade e não por acaso da vida, Ele se entregou para que todos nós pudéssemos ter a chance de comunhão com Deus e, assim, receber o dom da Salvação.

Um dos que estavam com Jesus, estendendo a mão, puxou a espada e feriu o servo do sumo sacerdote, decepando-lhe a orelha.

Disse-lhe Jesus: “Guarde a espada! Pois todos os que empunham a espada, pela espada morrerão.

Você acha que eu não posso pedir a meu Pai, e ele não colocaria imediatamente à minha disposição mais de doze legiões de anjos?

Como então se cumpririam as Escrituras que dizem que as coisas deveriam acontecer desta forma? “

Mateus 26:51-54.

 

Anúncios

About Francisco Eliciano

Francisco Eliciano é graduado em Administração de Empresas. É membro de Igreja Batista em Teresina-PI. Dá muito valor ao estudo bíblico. Sobretudo, ele é servo de Jesus Cristo. Escreve no Infosol desde 2008 juntamente com uma galera fantástica. Também colabora com o 'Ideias que Conecatm' uma página no facebook (facebook.com/iqconectam).

Seu comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s