Arminianismo e Calvinismo: Os cinco pontos da discórdia

É o ano de 1610 na Holanda, quando quarenta e quatro teólogos assinam e publicam um documento chamado de Remonstrância, ou Cinco Artigos da Remonstrância.

A Remonstrância é um documento na forma de protesto que contém cinco artigos defendendo a posição teológica iniciada por Jacó Armínio. Este havia morrido no ano anterior, em 1609, e apesar de ter sido educado na Doutrina Reformada, passou a ter dúvidas sobre algumas coisas. A partir dessas dúvidas, Armínio começou a sistematizar e ensinar sua doutrina, que seria preservada e melhorada pelos seus seguidores, que passariam a ser chamados de Remonstrantes.

Os cinco artigos, e seus subsequentes ensinos, foram resumidos em cinco pontos:

  1. Livre Arbítrio: O homem, apesar de sua queda e total depravação, através da Graça de Deus, pode ser capacitado a escolher a salvação. Mas mesmo capacitado para a salvação, pode rejeitá-la;
  2. Eleição Condicional: Deus elegeu os que serão salvos através de sua presciência, ou seja, sabe quem por livre vontade aceitará a salvação antes de seus nascimentos, e por isso os elegeu;
  3. Expiação Ilimitada: O sacrifício de Jesus na cruz foi por toda a humanidade, entretanto só é eficaz para os que crerem nEle;
  4. Graça Resistível: A Graça de Deus oferecida aos homens pode ser resistida, quando o homem faz uso do seu livre-arbítrio ou livre vontade;
  5. Cair da Graça ou Apostasia: Uma vez que neste sistema a salvação é sinergista, ou seja, depende tanto do homem quanto de Deus, o ser humano, com seu livre-arbítrio, pode perder a salvação.

Esta vertente teológica, que veio a ser conhecida como Arminianismo começou a se espalhar entre os cristãos da Holanda e, nos nossos dias, é professado na maioria das igrejas evangélicas.

Mas ainda na década em que foi publicada a Remonstrância, a Igreja Reformada da Holanda, preocupada com o crescimento do Arminianismo (aliado a questões políticas entre Holanda e Espanha) constituiu, entre 1618 e 1619, um sínodo internacional, chamado de o Sínodo de Dort, para resolver as controvérsias entre as duas vertentes.

É importante lembrar que antes do Arminianismo, já desde 1517 com Lutero, e posteriormente com enorme influência de Calvino, a Doutrina Reformada já estava estabelecida e foi formalizada na Confissão de fé Belga. Uma vez que João Calvino foi um dos maiores formadores e expoente da Doutrina Reformada, esta também é referida como Calvinismo.

Ao fim do segundo ano, em 1619, após 154 reuniões, os ensinos de Armínio foram declarados heréticos. Além disso foram publicados os Cânones de Dort, do qual fazem parte os Cinco Pontos do Calvinismo (também conhecidos pelo seu acrônimo em Inglês TULIP), em contrapartida, ou resposta direta, aos cinco pontos do Arminianismo. Em resumo:

  1. Depravação Total: O homem está em um estado de depravação total, incapacitado para obter ou contribuir para sua salvação. Não se pode confundir o livre-arbítrio com a livre-agência, a qual é dissociada de todas as ações que tenham alguma influência na salvação;
  2. Eleição Incondicional: A salvação é monergista, ou seja, depende exclusivamente de Deus ao ter eleito, dentre todos os seres humanos, aqueles que seriam alcançados pela Sua Graça. A eleição para salvação não obedece qualquer critério meritório aos humanos, mas somente na Graça e Misericórdia de Deus;
  3. Expiação Limitada: O sacrifício de Jesus na cruz foi feito por um número fechado de seres humanos, ou seja, somente pelos que foram eleitos;
  4. Graça Irresistível: A Graça de Deus é irresistível ao ponto de os eleitos inevitavelmente serem alcançados e salvos. Não é possível ao eleito resistir ao chamado do Espírito Santo. Não existe o livre-arbítrio;
  5. Perseverança dos Santos: Uma vez que os eleitos são eficazmente alcançados pela Graça divina, ao não possuírem o livre-arbítrio, não são capazes de perderem a salvação. Logo, uma vez que o eleito é salvo, é para sempre salvo.

Estes são os famosos cinco pontos das duas maiores vertentes teológicas do cristianismo evangélico. Com apenas os cinco pontos de cada é impossível ter conhecimento do seu completo ensino. É importante ao leitor leituras aprofundadas sobre ambas as vertentes, seguindo sempre a leitura com a Bíblia do lado para constante verificação.

É importante também cautela e moderação nos diálogos e ao estudar ambos, pois há muitos preconceitos e vexação alheia de ambos os lados. Lembremos que estamos nessa discussão há 400 anos!

Por fim, gostaria de saber de vocês, leitores, suas opiniões sobre os pontos e também sobre a história por trás dos mesmos! Deus vos abençoe!


Links úteis (materiais em Português)

 

Anúncios

About Evandro J.R. Silva

É Doutorando em Ciência da Computação. Convertido desde os 6 anos de idade, a partir dos 15 anos começou a ler e estudar a Bíblia autodidaticamente. É membro de uma Igreja Batista. Gosta bastante de jogos eletrônicos e de ler, principalmente sobre apologética e literatura fantástica. Tem como gosto musical preferido o metal sinfônico.

There is one comment

Seu comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s