Quem é Satanás?

Na Bíblia podemos ver parte da história de Satanás (anjo decaído) em Isaías 14:12-15 e Ezequiel 28:12-19. Estas duas passagens bíblicas também se referem ao rei da Babilônia, o rei de Tiro, e ao poder espiritual por trás dos reis. (1)

Anjos Maus e Adversários

Embora ele e seus seguidores sejam criaturas de Deus, não foram criados como anjos maus. Há duas passagens da Escritura que dão a entender claramente que alguns anjos não mantiveram a sua condição original, mas caíram do estado em que tinham sidos criados (v. 2 Pedro 2:4 e Judas 6). (2)

Apesar de comum na cultura popular, na verdade, o pecado específico desses anjos não foi revelado, mas geralmente se pensa que consiste em se exaltarem contra Deus e desejarem ardentemente possuírem a autoridade suprema.

O chefe dos demônios

Satanás aparece nas escrituras como o originador do pecado (v. Gênesis 3:1,4; João 8:44; 2 Coríntios 11;3) e é reconhecido chefe dos anjos decaídos (v. Mateus 25:41; 9:34 e Efésios 2:2). (2)

Temido por muitos e adorado por alguns, o nome Satanás povoa a imaginação da humanidade há bastante tempo. A imagem popular de um ser que governa o inferno e inflige tortura e castigo aos pecadores não encontra correspondência no texto sagrado. Há a profecia de que Satanás será enviado ao inferno, mas sem qualquer status especial e sofrendo as mesmas torturas que os demais pecadores. (3)

“Na idade média, surgiu o retrato de Satanás mais reconhecível. Foi uma época de muito sofrimento, que ficou ainda pior com o surto de peste negra, a epidemia mais devastadora da história humana, com milhões de mortos na Europa” (3).

O vocábulo “Satanás” é uma derivação do termo hebraico “Satan” que expressa a ideia de “agir como um adversário” – e que também pode significar o verbo “acusar.” (4)

Para alguns estudiosos a expressão no original é usada, às vezes, para descrever simplesmente um adversário humano como, por exemplo, em 1 Samuel 29:04.

Representação medieval de Satanás sendo derrotado pelo arcanjo Miguel.

Mas quando o termo é usado precedido de artigo é que se tem a tradução mais usual e popular (“o Satanás”) que traz o sentido de “adversário pessoal de Deus e de seu povo.” (4)

A palavra Satanás aparece 35 vezes no Novo Testamento e o termo derivado “diabo”, 36 vezes (4). Há outros nomes na Bíblia que tem o mesmo significado (de acusar/acusador) ou que se referem a ele – mesmo que simbolicamente em alguns casos, exemplos: a “antiga serpente”, “dragão”, “Abadom” ou “Apoliom” (em grego, Apocalipse 9:11), anjo do abismo, a estrela que caiu do céu, príncipe dos demônios (Mateus 12:24) (5).

No trecho de Mateus 12:24 também aparece a palavra Belzebu (Senhor das Moscas) e que, possivelmente, derivou-se de Baal-Zebube, deus de Ecrom (2 Reis 1:2-16). (5)

Lúcifer

E quanto a Lúcifer? Esta palavra aparece na Vulgata [“tradução latina da Bíblia feita por São Jerônimo 340-420, que foi declarada a versão oficial da Igreja romana pelo Concílio de Trento” (6)] em Isaías 14:12 (versão ACF mantém “Lúcifer”, enquanto a versão NVI traduz por “estrela da manhã”). Esse termo indica a expressão “fonte de luz”, que a princípio refere-se ao rei da Babilônia, conforme alguns estudiosos. Para outros representa tão somente o planeta Vênus. Por fim, o entendimento mais usual é que essa locução é mais uma alusão a Satanás (5).

Importante ressaltar que não há na Bíblia nenhum vestígio de dualismo entre o poder de Satanás e o de Jesus Cristo, ou seja, Satanás não é apresentado como o opositor de mesma força e autoridade de Jesus.

Ainda neste aspecto, em Êxodo 7:7-12, podemos ver um episódio que marca essa diferença, quando a vara que Arão jogou diante de Faraó transformou-se em serpente e esta tragou todas as outras serpentes dos magos e feiticeiros. “Isto foi uma demonstração visual de que Satanás é potente, enquanto Deus é onipotente” (7).

Por fim, apesar de disporem de muito poder, em síntese, são espíritos perdidos e sem esperança. Ademais, estão em constante rebelião contra Deus e procuram destruir a sua obra, incluindo a mais importante delas: o homem. (2)


Referências

  1. Deus, Tudo Sobre. História de Satanás – História de Orgulho. Tudo Sobre Deus. [Online] All About GOD Ministries. [Citado em: 13 de Outubro de 2018.] https://www.allaboutgod.com/portuguese/historia-de-satanas.htm.
  2. Berkhof, Louis. Teologia Sistemática. [trad.] Odayr Olivetti. 4ª Edição. São Paulo : Editora Cultura Cristã, 2012. pp. 137,138. Vol. único. ISBN: 978-85-7622-462-4.
  3. Brasil, BBC. BBC News Brasil. Como o diabo ficou vermelho e ganhou chifres? [Online] BBC, 09 de Maio de 2016. [Citado em: 13 de Outubro de 2018.] https://www.bbc.com/portuguese/geral/2016/05/160508_diabo_vermelho_chifres_rb.
  4. Gardner, Paul. Quem é quem na Bíblia Sagrada. [trad.] Josué Ribeiro. 1ª Edição. São Paulo : Editora Vida, 2005.
  5. Kaschel, Werner e Zimmer, Rudi. Dicionário da Bíblia de Almeida. [trad.] João Ferreia de Almeida. Dicionário Bíblico. [Impresso]. Barueri, São Paulo, Brasil : Sociedade Bíblica do Brasil, 1999. Vol. único, 1ª Edição. ISBN: 85.311.0289-8.
  6. Google. Buscador Google. Significado de Vulgata. [Online] Alphabet Inc, 4 de Setembro de 1998. [Citado em: 7 de Outubro de 2018.] https://www.google.com.br.
  7. Miranda, Neemias Carvalho. Apocalipse: comentário versículo por versículo. 1ª Edição. Curitiba : A.D. Santos Editora, 2013. pp. 167-170. ISBN: 978.85.7459-316-6.

 

Anúncios

Seu comentário:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s